Casa da Cultura em Recife, onde estão os artistas de Pernambuco.

A Casa da Cultura em Recife é uma daquelas atrações que não se pode perder!

Chamada de Veneza Brasileira, por conta de suas pontes e rios que cortam toda a cidade, é a pátria do Frevo, dança “frenética” que faz sucesso o ano inteiro, mas principalmente no carnaval, um dos mais concorridos do país.

Capital de intensa manifestações artísticas, é terra de grandes e conhecidos artistas, assim como de inúmeros anônimos, mas não menos importantes ou habilidosos.

Muitas das atrações turísticas da cidade estão ligadas a estas manifestações artísticas e, aos poucos, vamos apresentar algumas por aqui. Por exemplo, nós já demos a dica para, quando você for, visitar o Paço do Frevo.

O que fazer em Recife é uma pergunta fácil de responder, pois tem MUITA coisa! A capital de Pernambuco é tudo de bom! Uma das capitais mais cheia de arte e cultura do país, a cidade é passeio obrigatório para quem quer conhecer o verdadeiro Brasil.

O local é super interessante, não só pelo conteúdo, como pela forma. É uma feira permanente de arte dentro de um antigo presídio desativado, mas não um presídio comum, e sim um prédio estilo neoclássico de grande beleza.

A nova Casa de Detenção da província de Pernambuco teve suas obras iniciadas em 1850 e ficou pronta em 1867, tendo 8.400 m² de área construída e 6.000 m² de pátio externo. O projeto, do engenheiro Mamede Alves Ferreira, seguiu o que tinha de mais moderno à época para penitenciárias, com o prédio em formato de cruz, cada parte (alas Norte, Sul, Leste e Oeste) com três andares, confluindo para um pequeno saguão central, coberto por uma cúpula.

A penitenciaria funcionou ali por 118 anos. Foi no ano de 1963 que Francisco Brennand, na época Chefe da Casa Civil, pensou em transformá-la em um local para abrigar toda a produção cultural do Estado, mas, neste momento, a ideia não saiu do papel.

Somente quando, em 1973, a penitenciária sofria com a superpopulação de presos (mais de mil presos no total e em celas para 3 abrigavam-se até 8 detentos) e ficou perigoso mantê-la no centro da cidade, ela foi desativada, os presos foram removidos para outro lugar e pode-se então pensar nesta outra ocupação para o lugar.

É interessante saber que o o projeto de restauração e adaptação do prédio ficou sob a responsabilidade da arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi, a mesma que fez o prédio do MASP, o Museu de Arte de São Paulo, do qual também já falamos por aqui.

Finalmente, em 14 de abril de 1976, a Casa da Cultura foi inaugurada e em 1980 o prédio foi tombado pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (FUNDARPE).

Hoje, ela cumpre perfeitamente o papel de absorção de inúmeros artistas e estilos de mais de 149 municípios do estado de Pernambuco, com 150 lojas de artesanato, livrarias e lanchonetes. As lojas foram adaptadas nas antigas celas que outrora abrigaram nomes famosos, como Graciliano Ramos.

Fonte: Turista Profissional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *